COMPORTAMENTO EXTREMO DE FOGO VAI SER ESTUDADO NOS PRÓXIMOS 3 ANOS

IPMA ENVOLVIDO EM PROJETO DE COMPORTAMENTO EXTREMO DE FOGO

fogo2019-02-13 (IPMA)

No passado dia 5 de fevereiro de 2019 teve lugar nas instalações da Associação para o desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI), em Coimbra, a reunião de kick-off do projeto FIRESTORM, em que o IPMA participa.

Os objetivos do projeto passam por caracterizar e modelar o comportamento extremo do fogo, a interação entre a atmosfera e o fogo, bem como a emissão e dispersão de fumo em incêndios.

O projeto FIRESTORM tem uma duração de 3 anos e é financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT), contando, além do IPMA e da ADAI (líder do projeto), com a participação da Universidade de Aveiro (UA) e do Instituto de Engenharia Mecânica (IDMEC).

Primavera mais quente e igualmente chuvosa

As previsões sazonais e de longo prazo, com escala temporal da ordem das semanas e meses, são efectuadas com base em elementos atmosféricos que se comportam a escalas espaciais também bastante grandes, e portanto são meramente indicativas e devem ser atualizadas com a devida frequência.

Padrões de larga escala podem depois revelar particularidades e pequenas variações, que à escala mais pequena de um país como Portugal, se manifestam com resultados muito variáveis, o BestWeather oferece este tipo de previsões, embora seja necessário sermos explícitos no aspecto de que é importante ir sempre atualizando estas tendências.

Esta Primavera os padrões oceânicos e de circulação atmosférica apontam para um cenário bastante diferente da Primavera de 2018.

Esperamos que a maior diferença se note nas temperaturas, com valores bem mais elevados do que o ano passado, e provavelmente acima da média climatológica dos últimos 30 anos.

Esperamos uma maior influência de massas de ar provenientes de sul ou sudoeste, que serão também, episodicamente algo húmidas.

A presença de áreas depressionárias a oeste e a norte do território continental será comum.

A nível da precipitação, as tendências apontam para que ao longo desta Primavera tenha um comportamento normal, podendo ser ligeiramente superior à média em alguns locais, em especial do Norte e Centro.

Fontes: http://bestweather.pt/previsao-trimestral-marco-maio/

Helena vem aí: Informação Especial do IPMA

> **Informação Especial – Depressão HELENA**
>
> Informação Meteorológica Comunicado válido entre 2019-01-31 > 02:20 e 2019-02-01 23:59

> Informação Especial – Depressão HELENA

> No seguimento dos critérios de emissão estabelecidos, foi atribuído
> pela AEMET, o nome HELENA a uma depressão centrada às 03UTC do dia 1 de fevereiro a noroeste do golfo da Biscaia, em 48,8N 8,9W, e em deslocamento para es-sueste.Esta depressão deverá afetar Portugal Continental em particular no que respeita ao vento e à agitação marítima na costa ocidental. Assim, para dia 1 de fevereiro, prevê-se vento forte de noroeste, com rajadas até 75/85 km/h no litoral, que deverão atingir valores da ordem de 110 km/h a norte do cabo Mondego e nas terras altas do Minho e Douro litoral e da região Centro. A agitação marítima na costa ocidental deverá ter altura > significativa de 5 a 7 metros, e temporariamente a norte do cabo
> Raso, 7 a 8 metros durante a tarde e início da noite, e altura máxima que poderá atingir 15 metros.

> Adicionalmente, devido a uma
> massa de ar polar pós-frontal fria, prevê-se ocorrência de aguaceiros que poderão ser localmente intensos, de granizo e acompanhados de trovoada, e sob a forma de neve nas terras altas. Prevê-se ainda uma descida da temperatura, o que associado ao > vento forte aumentará o desconforto térmico.

> A influência desta depressão em Portugal será ainda sentida em algumas das zonas marítimas de responsabilidade nacional.Para mais detalhes para a navegação marítima > consultar:http://www.ipma.pt/pt/maritima/boletins/

> Para mais detalhes
> sobre a previsão meteorológica para os próximos dias
> consultar:

> http://www.ipma.pt/pt/otempo/prev.descritiva/http://www.ipma.pt/pt/otempo/prev.significativa

> Qui, 31 Jan 2019 02:32:04
>
> Ver localização no mapa

Alojamento Local em alta em Tomar! Complicar a vida em Tomar, para quê?

Muito bom dia

Convido a ler os meus mais recentes artigos.
Com os meus melhores cumprimentos,
Luis Ferreira

As opções de hoje que vão complicar a vida na Cidade de Tomar no futuro

O Estudo de inserção de percurso ciclável – Estudo de Tráfego, produzido em Abril 2017, pela empresa TransiTec, dispõe na sua introdução que

"No âmbito do desenvolvimento e melhoria das condições de deslocação da mobilidade ativa, numa visão de mobilidade sustentável para a população de Tomar, principalmente através do uso da bicicleta, foi solicitado pela Câmara Municipal de Tomar um estudo de inserção de um percurso ciclável fundamentado, acompanhado de uma análise dos impactos na rede de transportes no troço em estudo.

Os objetivos gerais definidos pela Câmara Municipal de Tomar prendem-se necessariamente com os seguintes aspetos:

 Melhoria das condições de segurança do utilizador da bicicleta;

 Redistribuir o espaço público urbano entre os diferentes utentes, automobilistas, ciclistas e peões, criando um sistema viário eficiente, equitativo e respeitador do meio ambiente.

LER MAIS

Tomar merece isto?

***************************************************************

https://vamosporaqui.blogspot.com/2018/11/o-peso-do-alojamento-local-na-oferta.html

O peso do alojamento local na oferta turística de Tomar

O alojamento local vem-se apresentando nos últimos anos, como uma oportunidade para recolocar imóveis mais ou menos devolutos no mercado de arrendamento, seja a través de gestão direta dos seus proprietários, seja através de sub-aluguer, tudo isto após as alterações de classificação ocorridas em 2009 e posteriormente melhoradas pela redução da fiscalidade aplicada.
Primeiramente só com expressão relevante no centro das cidades de Lisboa e Porto, pouco a pouco, a pressão do mercado levou a que inúmeras cidades do País, fossem aumentando a sua oferta de camas em sistema de alojamento local.

(LER MAIS)

***************************************************************

Um verão de entrevistas

Este verão trouxe-nos duas longas entrevistas dos nossos principais edis de Tomar.
A Presidente deu uma entrevista ao Jornal "O Cidade de Tomar" e o Vice-Presidente deu uma entrevista à Rádio Hertz.
De estilos bem diferentes, porque naturalmente uma entrevista escrita é bem diferente de uma entrevista radiofónica, mas as diferenças não se ficam por aqui.
ps2_a.png

Conhecendo, há décadas os maneirismos dos autarcas em apreço, pouco me espanta que a entrevista da Presidente se tenha ficado pela total e esquiva tecnocracia, num debitar de números, como se de repente tivéssemos de novo um qualquer Cavaco Silva no ativo…

Ela é mesmo assim: fria, distante, incapaz de transformar uma pedra num sonho e capaz de traduzir um sonho, num conjunto abstrato de vacuidades, como aquelas que há anos lhe ouvimos.
Já a entrevista radiofónica do vice-presidente, seguiu os normais ditames de quem gosta imenso de se ouvir, e com isso por vezes complica o simples, traduzindo em dez palavras, aquilo que poderia ser dito numa só. Decerto que não foi pela comum aprendizagem musical, pois o Hugo pode ser muito melhor do que vai transmitindo, assim pudesse deixar de lado o espelho, onde todas as manhãs se parece inspirar…

Não se deduza que as entrevistas não têm aspetos positivos, que os têm, mas depois de ler a da Anabela e de ouvir a do Hugo, fiquei com aquela estranha sensação de que não há o mínimo projeto político, social ou ideológico comum.

Mais.
Da longa entrevista radiofónica do Hugo, ressalta ainda a estranhíssima sensação de amadorismo, no que ao pagamento de arrendamento por parte da comunidade cigana nas habitações provisórias em construção junto à GNR, diz respeito. Estranha forma de tratar assunto, que com vários anos de trabalho, nomeadamente depois de 2014, já deveria estar mais do que esclarecido como, quem e quando haveriam direitos e deveres assignados.

Esta estranha forma destes nossos edis se "arrastarem" nestes dois momentos, deve advir da sua eventual sensação de tudo puder dizer ou fazer, pois não haverá escrutínio público, nem consequências palpáveis do que se diz ou faz. O PSD é o que se sabe e o PS está adormecido pelo poder e, já nem se pode falar da verdadeira existência de trabalho ou avaliação política do mesmo, de há anos a esta parte – mesmo quando eu ainda era seu dirigente (até 2017).

Tomar está assim, digamos, que transformada numa Disneylândia, entre palcos de Bimbalhão, Estátuas mais ou menos vivas e concursos televisivos de mesas gastronómicas, sem alimentos ou degustação. Apenas e só um permanente agitar de Marketing – útil, mas no qual se não pode esgotar a vivência de uma comunidade, a qual salta alegremente de Circo em Circo, com "pão e mel" em razoável abundância, mas sem vislumbrarmos qual o caminho a percorrer.

Da atenção que pude dispensar a estas duas entrevistas, acabei recordando uma pergunta que, em agosto de 2004 – já lá vão 14 anos, fazia aos membros do Secretariado local do PS, então por mim presidido, sobre onde queríamos que Tomar estivesse "dali" a 10 anos. Até hoje aguardo a resposta de Anabela Freitas, então entrada nessa direção política. Julgo que vou e que vamos, continuar esperando. Já de Hugo Cristóvão, garanto-vos que a resposta foi eloquente e longa. É que então a política fazia-se também de sonho, e um musico é sempre um músico, conforme se vai vendo!

*** *** ***

A entrevista da presidente, Anabela Freitas, cujos heads podem aqui ser lidos.
A entrevista do vice-presidente, Hugo Cristóvão, pode ser ouvida aqui.

MAIS ARTIGOS RECENTES DISPONÍVEIS:

https://vamosporaqui.blogspot.com/2018/08/realojamentos-sem-pagamentos-de-renda.html

https://vamosporaqui.blogspot.com/2018/08/do-fim-do-bloco-de-esquerda-nova.html

A CONSULTAR A SOLUÇÃO PARA OS ACAMNPAMENTOS CIGANOS EM TOMAR:

http://vamosporaqui.blogspot.com/2016/05/na-fai-e-na-gnr-enfim-solucao-para.html

* Luis Ferreira, cidadão e político tomarense – anterior vereador e deputado municipal, eleito pelo PS

ADVERTÊNCIA: o presente email não está ao abrigo da mais recente legislação de proteção de dados da UE (RGPD), nos termos da alínea c) do nº2 dos eu artigo 2º, sendo um email pessoal e da exclusiva responsabilidade do cidadão e tomarense Luis Ferreira.

No entanto, se o mesmo é desnecessário e não pretende receber mais nenhum deste género, basta informar respondendo a este email.

Furacão e Tempestade atingem Tomar esta noite

Todo os efeitos do Furacão Leslie, que atingirá a península sob a forma de tempestade sub-tropical são potenciados pela entrada de uma depressão advinda do Atlântico noroeste, carregada de humidade e com ar mais frio, que aquele que é transportado pela tempestade com origem no furacão Leslie.

A Proteção civil nacional, enviou o aviso aqui publicado. A nível municipal não há, até às 10h00 deste sábado, dia 15/10/2018, qualquer informação ou aviso ⚠️

AVISO À POPULAÇÃO
CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS ADVERSAS

AUTORIDADE NACIONAL DE PROTEÇÃO CIVIL

1. SITUAÇÃO
A situação meteorológica que irá condicionar o território continental português é ainda muito incerta, nomeadamente quanto à trajetória da depressão Leslie e aos efeitos que a mesma produzirá em relação a vento, precipitação e agitação marítima. Espera-se que as condições dos estados do tempo e do mar se agravem a partir das 19:00 horas de sábado, 13-10-2018, atingindo-se o pico mais crítico entre as 00:00 horas e as 06:00 horas de domingo, para o vento, as 01:00 horas e as 16:00 horas de domingo para a precipitação, as 03:00 horas e as 12:00horas de domingo, para a agitação marítima. O território continental português será afetado muito provavelmente em toda a sua extensão geográfica, não sendo possível ainda indicar com precisão as áreas de maior impacto dos fenómenos meteorológicos.
É essencial recomendar especial cuidado com o vento, por precaução, na medida em que, podendo soprar forte nalgumas regiões, pode contribuir sobremaneira para a evolução rápida dos incêndios rurais que venham a verificar-se.

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:
 Danos em estruturas montadas ou suspensas;
 Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
 Possíveis acidentes na orla costeira;
 Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais historicamente mais vulneráveis;
 Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;
 Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
 Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
 Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
 Fenómenos geomorfológicos causados por instabilização de vertentes associados à saturação dos solos, pela perda da sua consistência.

3. MEDIDAS PREVENTIVAS

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:
 Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
 Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
 Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando a circulação e permanência nestes locais;
 Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;
 Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
 Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
 Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
 Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.”

Feira de Santa Iria em risco

Dado o seguinte aviso do Instituto de Meteorologia, o risco inerente à manutenção em funcionamento da Feira de Santa Iria, durante a noite deste sábado – dia 13 de outubro, é elevado.

Deveria ser equacionado, pelo Município de Tomar, o promotor da Feira, o seu encerramento, pelo menos a partir das 20h00, de forma a mitigar o risco para as pessoas, sendo certo que não é inexpectavel a destruição de coberturas e de equipamentos mais leves, dada a intensidade do vento prevista.

**Instituto Português do Mar e da Atmosfera – Avisos Santarém e Leiria**

Laranja
*Vento*
Vento forte a muito forte com rajadas ate 120 km/h.

Válido entre *2018-10-13 17:59:59* e *2018-10-14 05:59:59 (hora
UTC)*

Amarelo
*Precipitação*
Precipitacao por vezes forte, podendo ser acompanhada de trovoada.

Válido entre *2018-10-13 20:59:59* e *2018-10-14 08:59:59 (hora
UTC)*

Fim de semana (16 a 19 agosto) mais quente

Previsão BestWheather

:::: Aproximam-se dias MAIS QUENTES, a partir da próxima 6ª feira ::::

Para o final desta semana e seguinte, teremos um padrão caracterizado pela
entrada de massas de ar mais quentes, sobre a Península Ibérica, enquanto que, a oeste e sobre o Atlântico, tenderemos a observar a passagem de massas de ar mais frias.

Com esta configuração, esperamos diversos dias de temperaturas, em geral, altas no Interior e Algarve, com máximas da ordem dos 40ºC e poucos, enquanto que, na faixa costeira ocidental, irão alternar-se, dias de tempo mais quente, com dias um pouco mais frescos e ventosos.

Em Tomar as temperaturas subirão gradualmente até domingo, dia 19 de agosto, podendo atingir valores próximos dos 40 graus.

Temperatura abaixo do normal durante o resto do mês

Depois do excepcional período de tempo anormalmente quente, entre 2 e 5 de agosto, prevê-se que as próximas três semanas tenham temperaturas abaixo do normal para Agosto.

Decididamente este verão, fresco, vai-se manter, como acontece desde junho. As previsões europeias não permitem avançar com cenários para setembro.

Na precipitação total semanal, nas semanas de 13/08 a 19/08, de 20/08 a 26/08, de 27/08 a 02/09 e de 03/09 a 09/09, não é possível identificar a existência de sinal estatisticamente significativo.

Na temperatura média semanal, prevêem-se valores abaixo do normal, para a região sul, nas semanas de 13/08 a 19/08 e de 20/08 a 26/08, e para as regiões centro e sul, na semana de 27/08 a 02/09. Na semana de 03/09 a 09/09, não é possível identificar a existência de sinal estatisticamente significativo.

Toda a previsão pode ser lida aqui